A importância do risk assessment na sua estratégia



É possível dimensionar os prejuízos para a sua empresa caso o seu sistema de dados seja corrompido? Antes de tomar uma boa decisão com relação ao planejamento de segurança, o ideal é valorar todas as informações que fazem parte do seu sistema, para então decidir pelas ferramentas de monitoramento e defesa.

Como toda ferramenta de segurança implica em custos, o ideal é fazer um planejamento inteligente avaliando com cuidado quando vale a pena pagar para evitar os danos e quando vale a pena arcar com os prejuízos. Para isso, o melhor instrumento é o risk assessment, um estudo que visa mapear todos os pontos de falha e os sistemas mais críticos, indicando quais são as suas principais vulnerabilidades e quais são as ameaças, de acordo com a configuração do sistema.

Para saber mais sobre a importância dessa avaliação para a sua empresa e como ela pode otimizar sua estratégia de segurança, continue acompanhando nosso post!

O que é o risk assessment?

Para todo bom projeto de segurança da informação, uma das etapas essenciais é o risk assessment. Esse estudo visa identificar todos os pontos de falha dos sistemas, sugerindo melhorias e eventuais serviços a serem adotados para proteger o ambiente da empresa. Essa etapa, portanto, é estratégica e antecede a formação de uma política de segurança completa e efetiva.

Além de fazer um rigoroso mapeamento do sistema, o risk assessment também verifica todos os aparelhos de acesso, como dispositivos móveis (smartphones e tablets, por exemplo) ou dispositivos inteligentes identificando quais deles pode eventualmente causar danos ao sistema e trazer prejuízos ao negócio.

Quanto melhor dor a capacidade de mapeamento dos profissionais que conduzem o risk assessment melhor será o resultado dos sistemas de proteção da informação. Neste sentido vale destacar que cada empresa conta com um ambiente de sistema bastante próprio, baseado em suas necessidades. Por isso, quando se fala em implementação de uma política de proteção da informação, o ideal é que o profissional conheça muito bem o sistema da empresa, antes de sugerir soluções que tenham a capacidade de serem de fato efetivas diante das suas ameaças.

Etapas

O primeiro passo do estudo é fazer um levantamento do perímetro do sistema, identificando todos os ambientes que o compõe. A partir desse levantamento inicial é feita uma avaliação de vulnerabilidades em sites e aplicações web, além do mapeamento da rede interna e das políticas de segurança normalmente utilizadas pela empresa.

Os pen-tests também são um tópico abordado no risk assessment. Com ele, é possível analisar rotinas de invasão semelhantes a dos hackers e consequentemente identificar ameaças, vulnerabilidades e exposição de ativos corporativos.

Por fim, o relatório também analisa os endpoints, que nada mais são do que as ferramentas de segurança para os desktops.

Com o risk assessment os responsáveis pela proteção da informação possuem um panorama eficiente para que possam tomar suas decisões de acordo com o orçamento e condições que possuem.

#segurança #hackersProteçãodedadoscorporativos #ngfw #logistica #casb #ataqueDDoSrespostadeincidentes #forcepoint #utm #fortinet #ksecurity #mssp

41 visualizações
  • Twitter Ksecurity
  • Branca Ícone LinkedIn
  • White Facebook Icon

© 2019 by KSecurity - Todos os Direitos Reservados

FALE COM A K