Cada vez mais líderes se preocupam com segurança da informação



O risco dos ciberataques faz parte da preocupação de 54% dos líderes de negócios nos EUA. Segundo o Travelers Risk Index 2018, os ciberataques ocupam o terceiro lugar nas preocupações do mundo corporativo, segundo seus líderes. Além disso, apenas 13% dos entrevistados declararam que possuem uma real confiança em suas ferramentas de proteção, no que se refere a esse tipo de ataque.

Essa pesquisa é realizada anualmente e tem como objetivo identificar de forma real o que vem causando apreensão nos tomadores de decisões dentro das empresas. Fizeram parte da análise cerca de 1.202 líderes que ocupam 11 setores diferentes da indústria.

Para a maior parte, as preocupações maiores ainda estão relacionadas aos custos com seguros médicos (59%). Em seguida, os líderes apontam as preocupações com os custos de outras formas de benefícios voltadas aos empregados (56%). Na terceira posição, a preocupação esta relacionada aos riscos cibernéticos, especialmente no que se refere à violação de dados (54%). Por fim, ocupam as quarta e quinta posições, respectivamente, a responsabilidade legal (51%) e a retenção de talentos (50%).

Mesmo que a preocupação com os ciberataques tenha diminuído entre os líderes, quando comparado a 2017, ela ainda ocupa o centro das preocupações especialmente de grandes negócios.

Brasil X EUA

Embora no Brasil o nível de preocupação ainda seja menor, por conta da menor incidência de ataques, a tendência é que por aqui as estatísticas também comecem a se tornar mais expressivas. No entanto, embora a preocupação não seja a mesma, uma coisa Brasil e EUA possuem em comum, quando se trata de ciberataques: em ambos os países, pequenos negócios acabam dando menos valor à segurança da informação

para empresas do que as grandes.

Segundo o levantamento da Travelers Risk Index, 89% dos pequenos empresários atestam que nunca sofreram qualquer tipo de ataque. Quando questionados sobre o que traz inquietação a esses líderes, boa parte fala sobre a invasão de hackers e a violação de dados.

Medos e preocupações

Outros medos comuns aos líderes americanos apontados pelas pesquisas são o acesso às informações financeiras (46%), empregados que colocam dados da empresa em risco decorrente de práticas inseguras com seus próprios dados (45%) e não possuir recursos para recuperar dados violados ou perdidos (42%).

A maioria das empresas não está preparada para lidar com os danos causados pelos cibercriminosos. Mesmo nos EUA, 81% não possuem certeza do quanto seus sistemas está protegido. Além disso, apenas 32% implementou planos de ação voltados à segurança da informação.

Com o aumento dos ataques de ransomware, a probabilidade dessas estatísticas de preocupação mudarem drasticamente nos próximo anos são grandes. Devido ao aumento da incidência de ataques e dos custos decorrentes dos resgates, boa parte das empresas anda repensando suas estratégias para a gestão da segurança da informação.

#segurança #hackersProteçãodedadoscorporativos #ngfw #logistica #casb #ataqueDDoSrespostadeincidentes #forcepoint #utm #fortinet #ksecurity #mssp

0 views
  • Twitter Ksecurity
  • Branca Ícone LinkedIn
  • White Facebook Icon

© 2019 by KSecurity - Todos os Direitos Reservados

FALE COM A K