Controle de acesso aos dados é essencial para sua estratégia



A identificação e o controle de acesso estão, cada vez mais, ocupando o centro das estratégias de segurança nas empresas. Isso acontece porque as técnicas cibercriminosas estão se tornando cada vez mais sofisticadas e o uso de senhas não basta mais para impedir que os dados corporativos caiam nas mãos erradas.

Sabia que uma senha composta por quatro caracteres em letras minúsculas e dois números pode ser desbloqueada em apenas 0,5 segundos por um hacker? Felizmente, daqui três a cinco anos, a autenticação com base em biometria e comportamento do usuário vai eliminar a necessidade de senhas para transações de alto risco.

Para proteger informações corporativas e aplicações de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, o controle de acesso é essencial, especialmente com a ascensão de tendências como o Bring Your Own Device (BYOD), em que as empresas precisam garantir que os dados estejam seguros nos dispositivos de seus funcionários.

Confira alguns aspectos que as empresas devem considerar ao implementar novas tecnologias de controle de acesso à estratégia de segurança de dados:

Dados biométricos são informações pessoais identificáveis

Todos sabemos que as empresas precisam proteger os dados de acesso de seus usuários, incluindo senhas. No caso dos dados de autenticação biométricas, é preciso tomar ainda mais cuidado, pois, além de serem usados para acessar informações sensíveis, as próprias informações dos usuários já são valiosas por si só.

Por isso, antes de adotar a autenticação biométrica, os líderes de TI precisam considerar cuidadosamente onde as informações pessoais identificáveis de seus usuários estão armazenadas e como são usadas. É essencial que as organizações se concentrem na segurança de dispositivos que vão armazenar dados biométricos por meio de medidas como criptografia, adoção de plataformas confiáveis de prevenção de roubo de dados, e outras medidas de segurança física.

Senhas ainda são importantes

Apesar de a biometria ter chegado como uma ótima maneira de depender cada vez menos das senhas, esse mecanismo ainda é limitado em sua capacidade de substituí-las completamente. Ao roubar dados biométricos, é possível comprometer permanentemente o controle de acesso, enquanto as senhas, caso forem comprometidas, podem ser trocadas facilmente.

Além disso, a autenticação biométrica não é 100% confiável. Todos os sistemas de autenticação biométrica precisam considerar um certo nível de falsos negativos e positivos. Ou seja, pode ser que, mesmo que os dados estejam certos, o sistema os recuse com base em algum outro fator. Os sistemas de senha, por outro lado, nunca recusariam uma senha certa.

Redundância também ajuda a proteger o ambiente

Empresas que planejam implementar novas tecnologias biométricas de controle de acesso precisam incluir, desde o início, a implementação de controles de prevenção de perda de dados (em inglês, data loss prevention – DLP).

Os líderes de TI também precisam considerar maneiras de proteger os dados dos usuários finais que desejam ter acesso aos dados. Como qualquer dado de biometria ou comportamento do usuário podem reportar falsos positivos, as empresas precisam garantir que seus sistemas sensíveis usem múltiplas formas de autenticação.

A KSecurity oferece um serviço de consultoria 360º adequado para cada empresa que analisa o ambiente da organização e indica as soluções mais adequadas para garantir a proteção dos ativos corporativos, dentre elas soluções de Data Loss Prevention. Saiba mais sobre o serviço de consultoria em segurança da KSecurity.


0 visualização
  • Twitter Ksecurity
  • Branca Ícone LinkedIn
  • White Facebook Icon

© 2019 by KSecurity - Todos os Direitos Reservados

FALE COM A K